Centro de Estudos em Fotografia de Tomar - Fotografia e Território

Os Quatro Rios do Paraíso

Projetos
Fotógrafo: José Afonso Furtado

Ano: 1994


Em 1993, Cristina Castel-Branco apresenta a sua tese de Doutoramento em Arquitectura Paisagista tendo como título O Lugar e o Significado, Os Jardins dos Vice-Reis. Dos trabalhos preparatórios até à redacção final, todo a investigação sobre a história dos jardins acabou por não ser utilizada. Clara Pinto Correia, escritora, bióloga e historiadora da ciência, propôs-se trabalhar esse material e dar-lhe forma amena e publicável. Eu tinha, com amizade e com gosto, calcorreado alguns desses jardins com a Autora, para captar imagens destinadas a ilustrarem pontos precisos da tese, mas também outras menos instrumentais. Este conjunto de cumplicidades deu origem ao livro Os Quatro Rios do Paraíso, publicado pela D. Quixote em finais de 1994. Numa generosa e sagaz recensão do livro, Luísa Costa Gomes escreveu: “Se o texto nos fala da paisagem enquanto actividade humana, e da maneira esforçada como as civilizações e os séculos foram tentando imitações do Paraíso, as fotografias de José Afonso Furtado são-lhe inesperado contraponto. De facto, a ideia recorrente que delas emana é a de que Deus terá expulso o par pecador do Paraíso como um senhorio se desfaz de inquilinos excessivamente vulgares e barulhentos. O que ali se encontra, fotografia após fotografia (…) é a mais completa sobranceria da Natureza diante do pequeno Homem que a quis domesticar – senteiros que uma vez abertos logo se cobriram de vegetação, conjuntos que se tornam insólitos pelo mero crescimento das coisas, elementos arquitectónicos abandonados no meio de árvores.” Estas imagens acabaram por seguir o seu rumo, tendo sido expostas na ImagoLucis e na Galeria EFTI, em Madrid.


José Afonso Furtado (Alcobaça, 1953).

Licenciado em Filosofia (FLUL). Curso de Formação no Instituto Português de Fotografia (1981-1984), onde veio a assegurar, durante alguns anos, a Cadeira de História de Fotografia. Exerceu a sua actividade profissional em organismos governamentais na área da Cultura, tendo sido Presidente do Instituto Português do Livro e da Leitura (1987-1991). Posteriormente assumiu o cargo de Director da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian (1992-2012). Expõe desde 1984. Publicou vários livros fotográficos, designadamente Das Áfricas (com Maria Velho da Costa). Difusão Cultural, 1991; Os Quatro Rios do Paraíso (com Clara Pinto Correia e Cristina Castel-Branco), D. Quixote, 1994; Linha de Costa (prefácio de Bernardo Pinto de Almeida), Contemporânea Editora, 1996; Canada do Inferno (introdução de Maria do Carmo Serén) Edição do Autor, 2005 e Contaminações — Minas Abandonadas (Fotografias 1994-2009) com Ensaio de Maria do Carmo Serén. Lisboa: Documenta, 2019. Traduziu a obra On Photography de Susan Sontag: Ensaios sobre Fotografia, Quetzal, Lisboa, 2012. Está representado nas Colecções do Instituto Camões (Ministério dos Negócios Estrangeiros), do Centro de Estudos de Fotografia de Coimbra, da Fundação Belmiro de Azevedo, da Fundação PLMJ, da Colecção Nacional de Fotografia do Ministério da Cultura, do Musée de L'Élysée, Lausanne e do Département des Estampes et de la Photographie da Bibliothèque Nationale de  France.

Voltar ao Início
Partilhar
2

Gostaram deste artigo

Deixe o seu comentário